Ações das mulheres na política latino-americana são temas de Seminário Internacional em São Paulo

17/03/2013 20:57

Seminário Internacional: “ Vozes e Ações

das Mulheres na Politica Latino Americana .”

Terça-feira -26 de março das 08h30 às 16h - Memorial da América Latina - SP

 

Memorial

Em setembro do ano passado, a Fundação Memorial da América Latina promoveu o Seminário Internacional “Migração e Tráfico de Pessoas na América Latina”, com a participação dos principais agentes no combate a essas práticas nos campos federal, estadual e municipal, bem como pesquisadores da questão. Na jornada ficou claro que as mulheres desempenham papel fundamental na luta contra práticas que estão encasteladas na cultura latino-americana, pois são as suas principais vítimas. Para analisar esse tema, que se divide em vários outros, e aproveitando que em março se comemora o Dia Internacional da Mulher, o Memorial e a ONG Elas por Elas Vozes e Ações das Mulheres promove um segundo seminário, desta feita com o tema geral “Vozes e Ações das Mulheres na Política Latino-americana”. A participação é gratuita. Basta fazer inscrição on line clicando aqui.

O lançamento do Decênio dos Afrodescendentes, instituído pela ONU, e a comemoração do Bicentenário da Independência, da maioria dos países latino-americanos (que se iniciou em 1810), serão as diretrizes a partir das quais as temáticas de gênero serão discutidas, analisadas e atualizadas no seminário “Vozes e Ações das Mulheres na Política Latino-americana”, no dia 26 de março, uma terça-feira.

Temas como juventude, etnicidade, feminismo, economia, a imagem da mulher na mídia e sua relação com o Tráfico de Pessoas, sustentabilidade, politicas públicas, advocacy e perspectivas de futuro , além de sexualidades, direitos sexuais/ direitos reprodutivos, dentre outros, serão abordados sob as perspectivas de gênero/etnia/raça/geracional/diversidade.

O Seminário prevê a realização de painéis temáticos que possibilitarão o compartilhamento de experiências de ativistas políticas e especialistas brasileiras e latino-americanas, com as realidades do Brasil, América Latina analisando múltiplos aspectos que contemplem as questões a serem abordadas, sob as perspectivas de gênero/etnia/raça/geracional/diversidade e como proposta a criação de um Centro de Formação Políticas Públicas (Centro de Excelência) Latino Americana que contemplem essas especificidades.

A CEPAL Comissão Econômica para a América Latina, órgão da ONU que se preocupa em estudar o desenvolvimento econômico da região, apresentou recentemente estudo que contou com a colaboração de mais de 18 agências e organismos especializados pela região da América Latina. O documento destaca que parte importante do progresso obtido pela região, com relação às Metas do Milênio – particularmente na redução da pobreza extrema- se deu nos seis anos prévios à crise global (2002-2008), período em que a América Latina e o Caribe registrou um crescimento econômico relativamente elevado.

Constata-se, a partir do referido documento, que a pobreza ocupa um lugar central nas Metas do Milênio e as mulheres aparecem sobre-representadas nesse quesito e sub-representadas entre os encarregados de tomar decisões.

A despeito das inúmeras diferenças (culturais, regionais, econômicas ) entre países da América Latina, observa-se que, ao se realizar uma análise nas perspectivas gênero/etnorracial/ geracional /diversidade, os efeitos das desigualdades estruturantes de gênero/raça, motivadas pelo racismo, sexismo, violências e efeitos da pobreza, impactam sobremaneira as mulheres. Ainda há muitos países, que apresentam sérias dificuldades para atingi-las, principalmente se for mantido até o ano de 2015 o ritmo de avanço observado. Sobre a igualdade de gênero (Meta do Milênio 3), as diferenças com relação aos homens tem diminuído nos últimos 15 anos, mas o ritmo de avanço tem sido lento. O informe assinala que os três pilares para alcançar esta igualdade são a autonomia econômica, a autonomia física e a participação na tomada de decisões. Com relação ao direito à saúde, expresso nas Metas 4, 5 e 6, as condições de saúde da população sem dúvida melhoraram, mas o progresso é muito desigual e heterogêneo, e para alguns indicadores, insuficiente. Por exemplo, se estima que só um terço dos países cumprirá a meta de diminuir em 50% a mortalidade infantil, já que até 2009 o progresso regional foi de 79%.

A partir dessa análise, o Seminário Internacional Vozes e Ações das Mulheres na Política Latino Americana objetiva compartilhar experiências e práticas entre os diferentes países e realidades da América Latina no que se refere ao espaço de Poder Político e às políticas públicas e o lugar que ocupam nesses espaços, abordando temas como feminismo e democracia, participação das mulheres na Política, Violências de Gênero , Direito ao próprio corpo, Economia , Protagonismo das Mulheres Jovens, Aborto, Fortalecimento do Trabalho em Rede, Construindo uma nova identidade…

Preencha o formulário de inscrição aqui.   

Saiba mais sobre o Programa Conexão Nacional – Tráfico de Pessoas.

Realização : Fundação Memorial da América Latina e Elas por Elas Vozes e Ações das Mulheres

 Seminário Vozes e Ações das Mulheres na Política Latino –Americana

Memorial da América Latina

26 de março das 08h30 às 16h

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!