Em sua terceira edição, a Mostra Brasil Juventude Transformando com Arte traz mais uma vez para o palco do Teatro Carlos Gomes, no Centro do Rio de Janeiro, manifestações artísticas de grupos e organizações que trabalham com arte e cultura, envolvendo jovens em processos de transformação social. Participam dos espetáculos 440 jovens e artistas numa multiplicidade de linguagens – música, dança, circo, poesia, coros e manifestações populares. São 23 grupos de 17 cidades de todas as regiões do país que trazem para o público carioca a arte e a cultura do “Brasil de todas as Cores”, o tema norteador desta edição.

A novidade deste ano é a criação do Grupo de Consultores composto por profissionais de referência nas áreas da arte e cultura, juventude e transformação social. Esta colaboração, com um novo “olhar” de diversos estados do país, ampliou as escolhas para o Grupo de Curadores, possibilitou a participação de grupos ainda pouco conhecidos e contribuiu com novos caminhos para o processo criativo e de direção dos espetáculos. Os curadores tiveram a preocupação em, além da qualidade artística, buscar novas linguagens e expressões que pudessem mostrar as diferentes cores e matizes da nossa cultura.

Entre os destaques, a Orquestra de Rabecas da Amazônia, também conhecida como “Sons do Caeté”. Criada em 2005, na cidade de Bragança, a orquestra é única em sua categoria na região da Amazônia. Surgida como resultado de um projeto de preservação, educação e cidadania idealizado por Aurimar Monteiro de Araújo, Mestre Ari das Rabecas, já beneficiou mais de 280 crianças, adolescentes e jovens, capacitando-os como artesãos e tocadores de rabecas, elaboradas com matérias primas da floresta. Seus 26 instrumentistas divulgam um repertório que tem por base um mapeamento das referências musicais tradicionais presentes naquela região, impulsionando a pesquisa e a preservação dos valores culturais da música regional e a manutenção da rabeca enquanto instrumento popular. A orquestra já participou de inúmeras mostras e festivais nacionais e internacionais de música e é reconhecida pelo Selo Cultura Viva, do Ministério da Cultura.

Na estréia da Mostra, às rabecas se junta um convidado especial, o violinista Nicolas Krassic. Francês radicado no Brasil, descobriu a música brasileira em eventos realizados em Paris. Chegando ao Rio de Janeiro, em setembro de 2001, teve imediato contato com o samba, o choro, o forró, no bairro da Lapa, tocando com grandes artistas brasileiros. Foi a sua forte e natural identificação com a
cultura brasileira que fez com que Nicolas decidisse ficar no Brasil. Ele já tocou com artistas consagrados como: Yamandú Costa, Beth Carvalho, João Bosco, Marisa Monte, Zé Carlos Bigorna, Hamilton de Holanda, Carlos Malta, Chico Chagas, Maria Teresa Madeira, Zé da Velha, entre outros.

A 3ª. Mostra Brasil terá ainda outros convidados especiais, como a Pulsar Cia. de Dança. Dirigida por Teresa Taquechel, a Pulsar edica-se há 10 anos à construção de obras coreográficas em dança contemporânea, refletindo em sua pesquisa a multiplicidade do indivíduo e possibilidades de produção artística entre corpos ímpares com resoluções próprias de movimento. Considerada uma referência nacional no trabalho com arte, dança e deficiência, vem contribuindo com novas perspectivas no olhar do indivíduo em relação a outros, através do fluir estético que envolve a diferença. Em 2004, recebeu das mãos do Presidente da República e do Ministro da Cultura, o Prêmio Ordem ao Mérito Cultural.

Veja aqui a programação completa.

Curadoria e direção artísticas das noites

Karen Acioly
Autora e diretora teatral e fundadora e diretora do Centro de referência do Teatro Infantil no Rio de Janeiro. Foi curadora da 1ª e 2a Mostra Brasil, responsável pela concepção e direção do espetáculo de mistura de linguagens. É curadora desta nova edição da Mostra e será responsável também pelo roteiro e direção do novo espetáculo de Mistura de Linguagens.

Carlos Cavalcanti
Diretor-Presidente do Programa Social Crescer e Viver (RJ). Atuou como Coordenador de projetos do Grupo Cultural AfroReggae (RJ) e Diretor da Escola Nacional de Circo (RJ). Foi curador da 1ª e 2a Mostra Brasil, responsável pelos espetáculos e oficinas de artes circenses. É curador desta nova edição da Mostra e diretor artístico das artes circenses, presente na noite da Mistura de Linguagens.

Jayme Vignoli
Cavaquinista, arranjador, compositor, professor e produtor musical. É Bacharel em Composição pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atuou em diversos grupos de música popular no Brasil e no exterior. É responsável pela direção artística do espetáculo da noite de “Música” e pela direção musical da noite da “Mistura de Linguagens”.

Frederico Paredes
Bailarino, coreógrafo e professor. Formado pela Escola e Faculdade Angel Vianna, também possui background profissional em teatro e música. Dançou em companhias profissionais e, desde 1995, desenvolve sua trajetória autoral como coreógrafo. Tem participado de festivais no Brasil e no exterior como o Panorama, Springdance/Preview, KunstenFESTIVALdesArts, Fierce! e LiFE LiVE. È diretor

artístico da noite dedicada à “Dança”.

Serviço

 

De 23 a 29/agosto

Espetáculos: Teatro Carlos Gomes

Praça Tiradentes, s/n - 19h30

 

 

Seminário  - 24/agosto - 9h às 15h

Rua São Clemente, 134 - Botafogo

 

Intercâmbio - 25/agosto

Afroreggae - Vigário Geral

Nós do Morro - Vidigal

 

Informações: JuventudeArte