27/04 - Omo Ylú - Filhos do tambor: Encontro Sonoro Musical do Mestres Lumumba e Tião Carvalho

27/04/2013 22:00

Omo Ylú - Filhos do tambor

Encontro Sonoro Musical do

Mestres Lumumba e Tião Carvalho

Sábado, 27 de abril, às 22h, no Urucum Espaço

 

Sobre Mestre Lumumba
Com composições que somam mais de meio século de influências e experiências musicais, Mestre Lumumba lança seu mais novo trabalho, “Axó”, onde alia sua força expressiva aos anos de pesquisa de música afro-brasileira. O disco Axó, gravado com a participação de Dinho Nascimento e produzido por Beto Mendonça através do selo Pôr do Som, quebra o silêncio do mestre e traz ao público um som que associa o reggae com raízes brasileiras do interior de São Paulo à linguagem do culto aos orixás, suas poesias, ritmos percussivos e arranjos elétricos.
Para a circulação desse trabalho, Lumumba reuniu músicos e parceiros ligados à sua trajetória, trazendo na percussão Orokzala, Luiz Black e Flavio Azevedo, na bateria Evaldo Correa, no baixo Xantilee Jesus e na guitarra Pedro Nolasco.

 

Biografia Resumida.
Benedito Luiz Amauro, (re)conhecido como Mestre Lumumba, filho do orixá Ogum, desde jovem, fez-se artista e ferramenteiro. Em 1973 formou o Grupo de Teatro Evolução, um marco na história do movimento negro brasileiro na contemporaneidade. Neste período, foi ator e criador de vários espetáculos, entre eles Sinfonia Negra (1974).
Em 1980, foi assistente de direção do musical Ongira, um grito africano, com direção de Thereza Santos. Também integrou uma das primeiras bandas de reggae do Brasil, Arembepe. Em 1982, produz o disco Cafuné (1982), primeiro trabalho autoral.
No início da década de 80, conheceu em Salvador o Mestre Didi, sacerdote do culto dos ancestrais, artista e escritor, quem lhe abriu a percepção para o universo místico dos tambores Ilú. Iniciou-se na Irmandade dos Tambores-Ilú, conhecendo sua fabricação, sonoridade e história. O poeta e compositor descobriu então um caminho, sua vocação, unindo toda a bagagem de artista e militante ao ofício de fazedor de tambor: arte feita de corpo, aro, madeira, pele, nós, poesia e laçadas como os gonquis.
Em 1987, na zona rural do município de São Luiz do Paraitinga (SP), funda, em parceria com a Yalorixá Nadya Sant’Anna, sua esposa, um terreiro de candomblé. Trata-se da Comunidade Cultural Religiosa de Matriz Africana Ilê Asè Omò Ayé,
que reúne pessoas de diferentes cidades do estado de São Paulo que compartilham a fé nos orixás, os princípios da vida comunitária e o gosto pela cultura e arte afro-brasileiras. A partir da sabedoria ancestral que diz Koci ewe koci orixa (“Sem as folhas não existe orixá”), também compõem os objetivos do Ilê a recuperação da mata ciliar nativa.

 

Sobre Tião Carvalho

Nascido em Cururupu, no Maranhão, e radicado em São Paulo, Tião Carvalho é um dos grandes nomes de expressão da cultura popular brasileira. Traz para sua obra tanto a presença de palco aprendida na experiência como ator e dançarino, quanto o conhecimento construído através de suas pesquisas musicais. O cantor e compositor tem pelo menos duas aparições marcantes e definitivas na cultura maranhense e brasileira: é dele a voz em “Itamirim”, conhecidíssima toada de Chico Saldanha, um dos hinos do São João maranhense; e é dele a hoje já clássica “Nós”, imortalizada por Cássia Eller e gravada também por Ná Ozzetti e pelo próprio compositor.
Em 2000 chegou à semifinal do Festival da Música Brasileira, realizado pela Rede Globo, com a música “Quando Dorme Alcântara”, mas é em 2002 que seu primeiro CD solo é lançado, com o mesmo nome da canção e com produção do Selo Pôr do Som. Nesse disco, Tião equilibra os acentos regionais de sua música com a linguagem pop contemporânea, em uma contagiante diversidade de ritmos, mesclando as raízes brasileiras, sambas de roda, reggae, toadas de boi, baiões etc. O trabalho foi selecionado em 2004 para o prêmio Rumos da Música, promovido pelo Itaú Cultura e, em seguida, foi selecionado para a realização do projeto Pixinguinha pela Funarte, em que se apresentou ao lado de outros artistas em dez estados brasileiros, além de fazer turnê por diversos países da Europa.
Outros trabalhos desenvolvidos pelo artista são atividades culturais e sociais no Morro do Querosene, na região do Butantã.

 

Discografia:
Grupo Cupuaçu – Todo Canto Dança (2008)
Tião Carvalho canta João do Vale (2006) – Pôr do Som
Quando Dorme Alcântara (2002) – Pôr do Som
Grupo Cupuaçu – Toadas de Bumba-meu-boi (2000) – Núcleo Contemporâneo
Mafuá (1998) – CPC / UMES – intérprete /compositor
Mexe com Tudo (1987) – independente – intérprete /compositor

 

Serviço:
Omo Ylú - Filhos do Tambor

DIA 27 DE ABRIL (SÁBADO)
MPB – “Música para Pular Brasileira”
Abertura da Casa as 22:00hs
Exposição de Instrumentos, Batas, Tecidos, Mascaras e artesanatos africanos sobre a curadoria da loja Tambores Zé Benedito.
Couvert:
Mulheres R$ 12 / após a meia noite R$ 15 / ou R$ 50 consome R$ 40
Homens R$ 15 / após a meia noite R$ 20 / ou R$ 60 consome R$ 50
Rua Cardeal Arcoverde, 1598 - Vila Madalena - São Paulo/SP
(11) 2309-7409 - espacourucum@gmail.com

 

 
 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!