28 a 30/11 - Pensamentos e Ações - Seminário Internacional de Cultura e Formação

28/11/2012 23:44

Pensamentos e Ações - Seminário

Internacional de Cultura e Formação

Três eixos temáticos nortearão o evento Pensamentos e Ações – Seminário Internacional de Cultura e Formação, que acontece no Itaú Cultural, de 28 a 30 de novembro. Arte e Cultura na Vida das Pessoas; Mediação, Formação e Educação; e Estratégias e Possibilidades. Com o objetivo de discutir formação e arte no Brasil e na América Latina, a partir desses temas, o evento inclui mesas-redondas diárias e painéis de relatos de experiência.

No primeiro dia, 28, a mesa falará sobre Arte e Cultura na Vida das Pessoas, das 16h30 às 19h30. Com mediação de Ilana Seltzer Goldstein, o debate terá como participantes Celio Turino (Cultura Viva e Pontos de Cultura pela América Latina), Jesús Carillo (Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, em Madri, Espanha) e Marcelo Evelin (Núcleo do Dirceu). Turino fará um balanço do programa Cultura Viva, do Ministério da Cultura, que criou mais de 3 mil Pontos de Cultura em cerca de mil municípios. Jesús Carillo falará sobre a atual crise institucional pela qual estão passando os museus de arte. Já Marcelo Evelin contará sobre a experiência do Núcleo do Dirceu, galpão artístico em Teresina (PI) onde são desenvolvidos diversos projetos e criações comprometidas com a autonomia artística horizontal.

Mediação, Formação, Educação é o tema da mesa do dia 29, com mediação de José Marcio Barros e participação de Francisca Caporali (Ja.Ca – Jardim Canadá Centro de Arte e Tecnologia, em Belo Horizonte), Janaína Melo (Escola do Olhar, do Museu de Arte do Rio/MAR) e José Mac Gregor (Instituto de Cultura do Município de Querétaro, no México). Esta mesa propõe uma reflexão sobre o tema em dois eixos: os limites e os alcances da educação não formal e sua relação com a educação formal; e os diferentes agentes que, no mundo contemporâneo, realizam trabalho de formação em arte e cultura.

Mediada por Cibele Rizek, a última mesa, Estratégias e Possibilidades, que acontece no dia 30, os debatedores Carlos Rendon, Fernando García Barros e Ivana Bentes farão uma reflexão sobre metodologias para o desenvolvimento de processos educativos que não eliminem a sensibilidade, a liberdade, a criatividade, a curiosidade, o criticismo e a alteridade. Rendon abordará o projeto Museo y Territorios, estratégia de construção de pontes e de diálogo entre o Museu de Antioquia (Colômbia) e a comunidade. O projeto mARTadero, de Cochabamba (Bolívia), será o caso abordado por Fernando García Barros. Já Ivana Bentes falará sobre os projetos coordenados por ela: Laboratório Cultura Viva, de apoio e fomento à produção audiovisual dos Pontos de Cultura, em parceria com o MinC, e Pontão de Cultura Digital da ECO/UFRJ.

Painéis

Em todos os dias do seminário, a programação é encerrada com quatro painéis, sempre das 20 às 22 horas. Nessa programação, o público acompanhará a apresentação de experiências e projetos de naturezas distintas (sociedade civil, governamental, grupos artísticos etc.) que têm realizado mediação, formação e estratégias próprias visando a qualidade de vida das pessoas.

Dia 28

Os participantes são Afonso Oliveira, Alexandre Sequeira, Lula Gonzaga e Celso Athayde.

Afonso Oliveira apresentará o Método Canavial, da Zona da Mata de Pernambuco, ferramenta de formação em produção cultural para projetos coletivos e comunitários, criado em 2008. O projeto Nazaré do Mocajuba, desenvolvido em uma vila de pescadores da região amazônica, será o tema abordado por Alexandre Sequeira. Ele fotografou os moradores e reproduziu em imagens em tamanho real os objetos pessoais dos retratados, como cortinas, lençóis, toalhas de mesa e redes. O curioso é que a maioria das pessoas fotografadas nunca tinha se visto em uma fotografia.

Lula Gonzaga falará sobre o Ponto de Cultura Cinema de Animação, criado em 2005 em Gravatá (PE). O projeto consiste em oficinas itinerantes de animação e desenho animado, que ocorrem em comunidades indígenas e quilombolas, casas paroquiais, assentamentos e pontos de cultura de diversas cidades.

Completando o primeiro dia, Celso Athayde falará sobre a Central Única das Favelas (Cufa), presente em todo o Brasil e em 17 países.

Dia 29

Marie Ange Bordas apresentará o projeto Tecendo Saberes, que valoriza a identidade de comunidades tradicionais e indígenas brasileiras, com a criação de livros infantis que representem e divulguem um repertório contemporâneo dos costumes dessas comunidades, tudo pelos olhos das suas crianças.

Depois Andréa Freire falará sobre o Pontão de Cultura Guaicuru, de Campo Grande (MS), associação cultural que articula ações que fomentam o relacionamento e a convivência entre grupos culturais e artísticos distintos, como teatro, cinema, música e fotografia.

Criado em 1980, em Barbacena (MG), o grupo de teatro Ponto de Partida será o tema de Regina Bertola. No currículo da trupe estão 32 espetáculos, todos tendo como tema a cultura brasileira. O grupo ainda atua na música, com a Bituca: Universidade de Música Popular e o coro Meninos de Araçuaí. O projeto mais recente do grupo é o Corredor Cultural Ponto de Partida.

Jacqueline Baumgratz encerra os painéis do dia 29 falando sobre as ações da ONG Cia. Cultural Bola de Meia, fundada em 1989, em São José dos Campos (SP).

Dia 30

Fechando a programação dos painéis, Carol Tokuyo apresentará a Universidade Livre Fora do Eixo (UniFdE), que articula mais de 450 campi de formação livre em todas as regiões do país e envolve cerca de 2 mil pessoas. O projeto educativo da Bienal do Mercosul, que já atendeu 1.163.351 alunos, será o tema do painel de Mônica Hoff.

Sally Mizrachi falará sobre o Lugar a Dudas, laboratório de fomento ao conhecimento da arte contemporânea, situado em Cáli, na Colômbia.

Gustavo Wanderley fecha o terceiro dia de painéis falando sobre o projeto ArteAção, criado há seis anos pela Casa da Ribeira, em Natal (RN), e voltado para jovens de 14 a 18 anos.

 

Programação

 

mesa Arte e Cultura na Vida das Pessoas 

quarta 28
16h30 às 19h30

Como a formação para a arte pode refletir na qualidade de vida das pessoas? A mesa propõe uma reflexão sobre o papel da arte e da cultura na formação de indivíduos afinados com valores democráticos. Entre os temas a serem abordados estão a alteridade e a diversidade.

debatedores Célio Turino, Jesús Carillo e Marcelo Evelin
mediação Ilana Seltzer Goldstein

Célio Turino

Historiador, atua há mais de 30 anos em movimentos sociais e culturais. Foi secretário municipal de Cultura de Campinas de 1990 a 1992; diretor do Departamento de Programas de Lazer na Secretaria de Esportes de São Paulo, na gestão de Marta Suplicy (2000-2004); e secretário na Secretaria da Cidadania Cultural do Ministério da Cultura, entre 2004 e 2010, período em que criou o Programa Cultura Viva. Autor de Uma Visão Inclusiva, Ponto de Culturao Brasil de Baixo para Cima e Na Trilha de Macunaíma, entre outros livros e ensaios.

Jesús Carrillo

Desde 2008, dirige o Departamento de Programas Culturais do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, em Madri. É professor de história e teoria da arte na Universidade Autônoma de Madri. Investiga as relações entre arte e poder na era moderna e as instituições contemporâneas da cultura.

Marcelo Evelin

Coreógrafo, pesquisador e intérprete. É criador residente do Hetveem Theaterem, Amsterdã, e ensina improvisação e composição na Escola Superior de Mímica de Amsterdã. Realiza workshopse projetos colaborativos em vários países da Europa, nos Estados Unidos, na África e na América do Sul. Desde 2006, coordena o Núcleo do Dirceu, em Teresina (PI).

Ilana Seltzer Goldstein

Doutora em antropologia pela Unicamp, é especialista em avaliação de projetos e programas sociais pela FIA/USP. Publicou os livros O Brasil Best-seller de Jorge Amado: Literatura e Identidade Nacional e Responsabilidade Social: das Grandes Corporações ao Terceiro Setor. Ministra aulas de gestão cultural na Fundação Getúlio Vargas e no Centro Universitário Senac, em São Paulo. Trabalha há 15 anos como consultora, coordenadora ou produtora de projetos sociais e culturais em diversas entidades públicas, privadas e do terceiro setor.

Painéis

quarta 28
20h às 22h

Temas: Método Canavial, da Zona da Mata de Pernambuco; projeto Nazaré do Mocajuba (realizado em uma pequena vila de pescadores de mesmo nome, localizada em Curuçá/PA); Ponto de Cultura Cinema de Animação, em Gravatá (PE) e em demais localidades no Norte e no Nordeste; Central Única das Favelas (Cufa), no Rio de Janeiro/RJ.

Afonso Oliveira

Produtor cultural e consultor de políticas culturais, criou o Método Canavial, na Zona da Mata de Pernambuco. Ganhou os prêmios Tuxauas e Patativa do Assaré do Ministério da Cultura. Fundou a Agência Canavial de Projetos Culturais (Pontão Canavial). Produziu e coordenou mais de 80 projetos culturais, com destaque para os de música e cultura popular.

Alexandre Sequeira

Artista plástico e fotógrafo, é mestre em arte e tecnologia pela UFMG e professor do Instituto de Ciências da Arte da UFPA. Desenvolve trabalhos que estabelecem relações entre fotografia e alteridade social. Participou de diversas exposições e festivais no Brasil e no exterior.

Lula Gonzaga

Cineasta de animação com especialização na Zagreb Film, Croácia, e na Kratky Film, República Tcheca, por meio de convênio entre MEC−Capes e Embrafilme. Atua nos projetos Ponto de Cultura Cinema de Animação, Pontão de Cultura Cine Anima, Cinema na Praça, Ponto de Mídia Livre, Cineclube AnimAção e A Saga Audiovisual.

Celso Athayde

Produtor musical, fundou a Central Única das Favelas (Cufa) e foi um dos criadores do movimento Recultura, que prega a reforma tributária e fiscal para o mercado cultural brasileiro. É coautor dos livros Falcão – Meninos do Tráfico e Cabeça de Porco. Produziu e dirigiu, ao lado de MV Bill, o documentário Falcao – Meninos do Tráfico. Dirigiu ainda Três da Madruga, Soldado do Morro, entre outros filmes.

mesaMediação, Formação, Educação

quinta 29
16h30 às 19h30

Esta mesa propõe uma reflexão sobre mediação, formação e educação em dois eixos: os limites e os alcances da educação não formal e sua relação com a educação formal; e os diferentes agentes que, no mundo contemporâneo, realizam trabalho de formação em arte e cultura.

debatedores Francisca Caporali, Janaína Melo e Jose Antonio Mac Gregor
mediação José Marcio Barros

Francisca Caporali

Uma das fundadoras do JA.CA – Jardim Canadá Centro de Arte e Tecnologia, instituição que dirige desde 2010. Concluiu máster em arte pelo Mecad/Esdi, Barcelona, e em fine arts, pelo Hunter College, de Nova York. A partir de 2012 também passou a lecionar na Escola Guinard/UEMG.

Janaína Melo

Arte-educadora, crítica de arte, curadora, pesquisadora e professora da arte. Pós-graduada pela Escola Guignard/Uemg, atualmente é gerente de educação da Escola do Olhar, do Museu de Arte do Rio. Foi curadora de arte e educação do Instituto Cultural Inhotim, entre 2007 e 2012, e professora de crítica de arte da Escola Guignard/Uemg, de 2010 a 2012. Foi curadora do projeto Atelier Aberto da Escola Guignard/Uemg 2010−2012 e do programa de exposições da primeira edição do Projeto de Residência Artística Ja.Ca, em 2010; e curadora assistente do Programa Rumos Itaú Cultural Artes Visuais 2008−2009.

Jose Antonio Mac Gregor

Antropólogo, mestre em desenvolvimento social pela Universidade Autônoma Metropolitana da Cidade do México. Foi diretor de ação regional em culturas populares e de capacitação cultural do Conselho Nacional para a Cultura e as Artes do México. É consultor da Unesco e da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI), professor em dez universidades do México, da Colômbia e da Bolívia, e diretor geral do Instituto de Cultura do Município de Querétaro.

José Marcio Barros

Doutor em comunicação e cultura pela UFRJ, é professor do programa de pós-graduação em comunicação e das graduações em ciências sociais e comunicação social da PUC/MG. Coordena o curso de pós-graduação lato sensu Mediação em Arte, Cultura e Educação da Escola Guignard/Uemg, e é professor convidado do programa de pós-graduação em cultura e sociedade da UFBA. Coordena o Observatório da Diversidade Cultural e o Programa Pensar e Agir com a Cultura. Integra a Rede de Estudos em Políticas Culturais.

Painéis

quinta 29
20h às 22h

Temas: projeto Tecendo Saberes; Pontão de Cultura Guaicuru, de Campo Grande (MS); grupo de teatro Ponto de Partida, de Barbacena (MG); ONG Cia. Cultural Bola de Meia, de São José dos Campos (SP).

Marie Ange Bordas

Artista multimídia, educadora e jornalista, dedica-se à criação de projetos de arte participativa, alfabetização visual e mídia em comunidades de diversos países. Suas ações enfatizam o cruzamento de linguagens e poéticas para construir processos colaborativos orgânicos, empoderadores e críticos, centrados nos saberes e dinâmicas de cada local.

Andréa Freire

Atriz, diretora, professora de teatro e produtora cultural com experiência em gestão. Fundadora da Cia. da Oficina de Criação Teatral, do Pontão de Cultura Guaicuru, coletivo com 20 anos de trabalho contínuo em Campo Grande (MS).

Regina Bertola é educadora, psicóloga, dramaturga e encenadora. Diretora e fundadora do Grupo Ponto de Partida e do coro Meninos de Araçuaí. Fundou também a Bituca – Universidade de Música Popular.

Jacqueline Baumgratz

Pedagoga, psicopedagoga, arte-educadora, especializada em educação de crianças com deficiência, escritora, fundadora da Cia. Cultural Bola de Meia. Recebeu o Prêmio Tuxaua do Ministério da Cultura pela liderança e articulação com movimentos culturais dentro e fora do Brasil.

mesa Estratégias e Possibilidades

sexta 30
16h30 às 19h30

A mesa discute as formas como a arte pode ser “ensinada” nos dias de hoje, analisando metodologias para o desenvolvimento de processos educativos que não eliminem a sensibilidade, a liberdade, a criatividade, a curiosidade, o criticismo e a alteridade.

debatedores Carlos Rendon, Fernando García Barros e Ivana Bentes
mediação Cibele Rizek

Carlos Rendon

Assessor cultural, professor universitário e diretor do projeto Museo y Territorios, do Museo de Antioquia, em Medellín (Colômbia). É mestre em artes plásticas pela Universidade de Antioquia e licenciado em educação artística.

Fernando García Barros

Gestor cultural, arquiteto, professor universitário e artista visual. Mestre em cultura e desenvolvimento e em valoração e gestão do patrimônio cultural. Pós-graduado em planificação e avaliação de projetos, gestão cultural, arquitetura e desenvolvimento e educação superior. Ministra aulas de história da arte, expressão artística e gestão cultural em várias universidades da Bolívia e de outros países da América Latina. Atualmente, é diretor executivo do projeto mARTadero, em Cochabamba, Bolívia.

Ivana Bentes

Professora e pesquisadora da linha de tecnologias da comunicação e estéticas do programa de pós-graduação em comunicação da UFRJ. É doutora em comunicação pela UFRJ, ensaísta do campo da comunicação, cultura e novas mídias. Desde 2006, é diretora da ECO/UFRJ. Coordena o projeto Laboratório Cultura Viva, de apoio e fomento à produção audiovisual dos Pontos de Cultura, em parceria com o MinC; e o Pontão de Cultura Digital da ECO/UFRJ, de articulação de ações em cultura digital. Participa da Rede Fórum de Mídia Livre e da elaboração e implantação da Universidade da Cultura Livre (UniCult).

Cibele Rizek

Doutora em sociologia e livre-docente pela USP, instituição na qual é professora do Instituto de Arquitetura e Urbanismo do campus de São Carlos, pesquisadora do Centro de Estudos dos Direitos da Cidadania da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas e pesquisadora do CNPq. Organizou recentemente os livros A Era da Indeterminação e Hegemonia às Avessas.

Painéis

sexta 30
20h às 22h

Temas: Universidade Livre Fora do Eixo (UniFdE); projeto educativo da Bienal do Mercosul; Lugar a Dudas, de Cali (Colômbia); projeto ArteAção, na Casa da Ribeira, em Natal (RN).

Carol Tokuyo

Desde 2007, atua na rede sociocultural Fora do Eixo, sendo, atualmente, gestora da Universidade Fora do Eixo. Coordena a Associação Caminho das Artes, responsável pelo Ponto de Cultura Independência ou Marte – Conexões Solidárias. Foi cofundadora do Ponto de Articulação Fora do Eixo Massa Coletiva – Núcleo Cooperativo de Comunicação e Cultura de São Carlos.

Mônica Hoff

Artista, educadora e pesquisadora, é especialista em pedagogia da arte e pós-graduanda em economia da cultura pela UFRGS, instituição na qual cursa o mestrado em história, teoria e crítica de arte. Recentemente, foi nomeada curadora de base da 9ª Bienal do Mercosul, que acontecerá em 2013. Coordena, desde 2006, o Projeto Pedagógico desse evento. Presta consultoria e desenvolve projetos de arte e educação.

Sally Mizrachi -Coordenadora geral e do programa internacional de residências do Lugar a Dudas. Integrou desde o começo o grupo de artistas e curadores que desenvolveram o conceito e a estrutura desse espaço, criado por Oscar Muñoz para ativar a cena artística colombiana.

Gustavo Wanderley -Formado em psicologia com aperfeiçoamento em responsabilidade social corporativa e negócios sustentáveis e especialização em gestão cultural. É gestor cultural da Casa da Ribeira, Natal (RN), curador independente e diretor de planejamento e projetos da House Cultura & Cidadania. Atua há 14 anos na criação e no desenvolvimento de projetos e ações culturais e sociais. Foi secretário adjunto de Cultura de Natal.

 

Serviço 

Pensamentos e Ações - Seminário Internacional de Cultura e Formação
quarta 28 a sexta 30 novembro 2012
das 16h30 às 22h
Sala Itaú Cultural – 247 lugares

Entrada franca – ingressos distribuídos com meia hora de antecedência
[livre para todos os públicos] L

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!