Até 03/07 - Eles não Usam Black Tie de Gianfrancesco Guarnieri

27/06/2011 21:00
Eles não Usam Black Tie 
de Gianfrancesco Guarnieri

Um clássico do teatro nacional „Eles não usam Black Tie‟ ganha montagem inédita em São Paulo. Desde o dia 07 de maio, um dos textos mais importantes da dramaturgia nacional ganha uma montagem inédita. A peça “Eles não usam Black Tie” de Gianfrancesco Guarnieri escrita em 1958 e posteriormente apresentada com absoluto sucesso no Teatro de Arena aborda temas relevantes e que geram discussões em todos os âmbitos. Nesta obra Gianfrancesco Guarnieri transcreve de maneira cotidiana questões sócio-políticas vividas por Tião, personagem que o próprio autor viveu no Teatro de Arena, e que hoje, será interpretado pelo filho de Guarnieri, Flávio Guarnieri. A história revela como primeira instância a organização de uma greve, com suas posições ideológicas e morais completamente opostas e divergentes para cada personagem, o que faz com que, discussões entre pai e filho, sejam freqüentes. Num plano abrangente estão apoiadas relações familiares como: gravidez, casamento, educação e religião. A platéia poderá vivenciar nesta moderna adaptação, uma família comovente que sobrevive de maneira humilde, mas não menos digna, refletindo assim o espelho de uma camada social que abrange milhões de brasileiros. Além disso, a peça tem como pano de fundo um debate sobre as grandes verdades eternas, reflexões universais sobre a frágil condição humana, sobre os homens e seus conflitos. DIREÇÃO – HOJE E ONTEM 

Quem assina a direção é Dan Rosseto, responsável por montagens como “O Primo Basílio – O Musical” indicado ao III Prêmio Contigo de Teatro, “Quando as máquinas param” de Plínio Marcos, “O Colecionador” de Mark Healy, “Dois Irmãos” de Fausto Paravidino e “Maldito coração”, de Vera Karam. O trabalho iniciado em outubro de 2010 rendeu muitos ensaios, estudos e debates sobre o texto. “O mais prazeroso foi acompanhar o crescimento dos atores, que conheciam a obra, e que no decorrer do processo de ensaio acabaram por descobrir detalhes o que fez com que cada personagem ganhasse maior destaque na história” afirma o diretor Dan Rosseto.

Em depoimento o diretor da primeira e decisiva montagem, José Renato fala como surgiu à idéia de levar aos palcos o texto. “Em 1958 me foi oferecida uma peça por um rapaz chamado Raimundo Duprat, que pertencia ao nosso grupo. 
trouxe uma peça e me disse: O Guarnieri está com receio de mostrar essa peça pra você, ele tem vergonha, ele acha que não está pronta ainda, ele quer que você leia, e tal. A peça chamava-se „O Cruzeiro Lá no Alto‟.

 Era uma história passada numa favela e tinha um cruzeiro no alto da favela, onde os namorados se encontravam. Hoje são os traficantes que se encontram. Eu me interessei logo por essa peça. Gostei e pedi ao Guarnieri que arranjasse outro nome, pois „O Cruzeiro Lá no Alto‟ é um nome esquisito. E ele veio com outro nome, talvez tão esquisito quanto, que é „Eles não usam Black-Tie‟”. 

SOBRE O AUTOR:
O QUE DIZ FLAVIO GUARNIERI (O FILHO DE GIANFRANCESCO): “Uma grande emoção! Fui gerado durante a primeira montagem de Eles não usam Black-tie... Nasci durante a montagem de Gimba! Nem preciso dizer o quão importante é para mim, 51 anos depois fazer o Tião (personagem interpretado por meu pai em 58 no teatro de Arena) nessa nova montagem com direção e adaptação de meu querido e talentoso amigo Dan Rosseto. Já havia feito o Chiquinho no cinema, hoje o Tião e quem sabe um dia, farei o Otávio. Eles não usam Black-tie, não é para mim só uma grande peça, mas também uma linda e singela homenagem que eu faço para um grande homem, um grande ator, um grande dramaturgo e principalmente, um grande amigo e tremendo PAI”.

Gianfrancesco Sigfrido Benedetto Martinenghi de Guarnieri foi um importante ator, diretor, dramaturgo e poeta ítalo-brasileiro, foi um artista de destaque no Teatro de Arena de São Paulo e sua mais importante obra foi Eles Não Usam Black-Tie.

Participou de 39 novelas, nove filmes, inúmeras peças além de ter sido Secretário da Cultura da cidade de São Paulo.

Guarnieri no seu lado dramaturgo escreveu inúmeros textos, tendo sempre como ponto forte a questão social e das relações humanas do verdadeiro povo brasileiro.

Guarnieri é e sempre será um brasileiro autêntico, um artista pluralista que por onde passou deixou a sua marca.

FICHA TÉCNICA: Autor: Gianfrancesco Guarnieri Direção e Adaptação Dan RossetoElenco* Flávio Guarnieri - Tião Sônia Loureiro - Romana Flávio Dias - Otávio Lia Antunes - Maria Greta Antoine - Terezinha Rodrigo Duarte - Chiquinho Paulo Gabriel - Jesuíno Leila Bass – Dalva Vagner Valério - João André Luis / Osvâneo Ferreira - Bráulio Produtores Associados : Dan Rosseto Flávio Guarnieri Paulo Gabriel Vagner Valério Assistência de Produção – Paula Davanço Figurinos - Karen Albuquerque Trilha Sonora: Dan Rosseto Assessoria de Imprensa: Cláudia Rolim e Fábio Câmara Design: Rao Marketeer Realização: Applauzo Produções E!Motion Cultural

SERVIÇO: 
Eles não Usam Black Tie - Gênero Drama
Até 03 de Julho
Teatro do Mube: Avenida Europa, 218--(Entrada pela Rua Alemanha 221) Jardim Europa  
Sábados às 21h e Domingos às 20h Preço: Ingresso Inteira: Sábados R$ 50,00 e Domingos R$ 40,00 Capacidade: 192 lugares Duração: 100 minutos Fone 3129-7077 Recomendação 12 anos Começa rigorosamente no horário / Não será permitida a entrada após o início / A bilheteria abre 1 h antes do espetáculo/ ar condicionado / Possui restaurante e snack bar. CURTÍSSIMA TEMPORADA 
 

SINOPSE SINTÉTICA: Uma história de amor encenada em uma comunidade carente que retrata valores como família, lealdade, união, gravidez, solidariedade, ideologia política e moral.  

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!