Ativistas contra incineração de lixo ganham o "Nobel Verde"

29/04/2013 19:18

Ativistas contra incineração

de lixo ganham o “Nobel Verde"

ADVIVO/Dan Moche Schneider

A catadora Nohra Padilla e o professor italiano Rossano Ercolini receberam o Prêmio Goldman de prestígio Ambiental em uma cerimônia realizada em 15/04, em San Francisco, EUA. Eles são dois de um grupo de seis vencedores, cuja liderança tem alcançado excelentes impactos ambientais no mundo.

Nohra e Rossano vem de locais opostos do mundo. Ela é da cidade tumultuada de Bogotá, Colômbia. Ele é da terra rústica Capannori, Itália. Apesar de suas origens e experiências são muito diferentes, eles compartilham uma causa comum e profunda: a gestão responsável de resíduos sólidos para o benefício das comunidades, trabalhadores e do planeta.

"Eu sou uma catadora, o que significa que presto um serviço público essencial que permite a recuperação de materiais reutilizáveis e recicláveis que de outra forma acabam em aterros ou incineradores", disse Nohra. "Este é um componente-chave de um sistema de desperdício zero. Através da nossa rede de cooperativas de catadores de materiais recicláveis reunimos 100 vezes o que consegue a indústria de reciclagem formal em Bogotá" declara.

Implacável contra poderosos adversários políticos e cultura da violência generalizada, Nohra organizou os catadores em sindicatos e converteu a reciclagem em uma parte legítima da gestão de resíduos urbanos. Em março, a Associação de Recicladores de Bogotá - co-fundada e dirigida por Nohra - obteve uma vitória histórica, permitindo que as autoridades da cidade começassem a pagar os catadores pelo serviço de coleta, quase em pé de igualdade ao que pagam às grandes empresas de coleta, um marco na luta pelos seus direitos.

O professor, Rossano Ercolini, lançou uma campanha de educação pública sobre os perigos da incineração em sua pequena vila na Toscana, e criou um movimento nacional que reivindica Lixo Zero. "Tudo começou com uma luta contra um incinerador. Desde então, tenho ajudado a fechar cerca de 50 incineradores e além de a estender o Movimento Lixo Zero na Itália", diz Rossano. Graças à rede italiana Rifiuti Zero (Lixo Zero) e apoiado pela GAIA, a Aliança Global para Alternativas à Incineração, hoje existem 123 municípios governados por princípios de zero resíduos, cobrindo mais de 2,3 milhões de pessoas.

Este prêmio também é um reconhecimento do crescente movimento contra a incineração no mundo, recicladores e Comunidades ao redor do mundo estão tomando medidas concretas com planos inovadores para reduzir a disposição de resíduos. Iniciativas como essas, junto com programas comunitários que envolvem reciclagem para reduzir o desperdício, tem desviado com sucesso milhões de toneladas de resíduos dos aterros e incineradores para reciclagem e reutilização.

"O trabalho de Nohra e Rossano são exemplos do conceito de Lixo Zero em ação e campo", diz Christie Keith, coordenador internacional da GAIA. "Com o trabalho mostram que, em conjunto, a reciclagem, a transformação dos padrões de consumo, a participação cidadã e dos trabalhadores, as alternativas à incineração dos resíduos e as políticas que apoiam estes sistemas podem transformar e capacitar as comunidades no sentido de uma causa comum: um mundo sem lixo".

Lixo Zero, empregos e Emissões

Os programas de Lixo Zero criam empregos e economias vibrantes e participativas para recuperar recursos valiosos, em vez de enterrar ou destruí-los em incineradores.

Um relatório da GAIA  em 2011 mostra que a meta nacional de reciclagem de 75% pode criar 1,5 milhão de empregos até 2030. Além disso, este movimento tem ajudado a reduzir o consumo de energia e o aquecimento global. Um sistema de Lixo Zero reduz as emissões de gás metano de aterros sanitários e de demanda por novos produtos e emissões da produção dos mesmos.

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!