Camponeses paraguaios não acatam ordem de desocupar terras ocupadas

07/08/2012 11:13

Camponeses paraguaios não acatam

ordem de desocupar terras ocupadas

Adital/TeleSur

Camponeses paraguaios de Saltos del Guairá (leste do país) se negaram a acatar uma ordem da promotoria guarani para desalojar as duas fazendas que ocupam desde o fim de semana passado, quando grupos de camponeses junto com suas famílias, que reivindicam hectares para viver e trabalhar, chegaram aos terrenos de uma fazenda pertencente a um empresário brasileiro e foram recebidos com disparos por guardas da segurança privada que deixou um saldo de oito feridos, dois deles em estado grave.

De acordo com a mídia local, os campesinos fizeram os guardas retrocederem e colocaram na área mais de 300 tendas nas quais se instalaram com a decisão de permanecer até que as terras sejam entregues, pedido feito há vários anos sem nenhuma solução oficial.

Mais tarde, o fiscal Diosnel Giménez visitou a fazenda onde realizou reuniões com os líderes dos campesinos. Os agricultores rejeitaram a ordem de abandonar a propriedade do colono brasileiro e afirmaram que estão dispostos a resistir a qualquer intenção de despejo.

Giménez deu um prazo de 24 horas para a saída pacífica do lugar pois, logo em seguida, o despejo seria feito com a intervenção da força pública.

As terras dos Saltos del Guairá se encontram próximas ao Monte Corumbí, cenário de um enfrentamento entre policiais e campesinos em junho, quando ocorreu um despejo. O procedimento, que terminou com a morte de 11 campesinos e 6 policiais, foi utilizado como desculpa para que a Assembleia Nacional do Paraguai se envolvesse em um julgamento político contra o presidente constitucional, Fernando Lugo, que culminou com sua destituição.

Milhares de campesinos sem terra estão vivendo em tendas na área leste do país e em outros departamentos do Paraguai reivindicando há anos que sejam concedidos os terrenos, que consideram ilícitos por seus atuais ocupantes durante a época da ditadura, para poder viver e produzir.

A população rural do Paraguai é a maior e mais pobre do país. A desigualdade na distribuição de terras e o aumento de campesinos que não têm terrenos para cultivar tornam cada vez mais difícil o acesso aos alimentos em um país onde – paradoxalmente –a agricultura é uma atividade chave do crescimento econômico.

O Paraguai está entre os 10 países com maior desigualdade do planeta e é o país com maior desigualdade na América Latina. Segundo estudos recentes, 10% das pessoas com mais posse de terra detêm 66,4% das terras.

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!