Carta de Salvador será entregue a Dilma e a Governadores

19/11/2010 09:02

 

Carta de Salvador será entregue 
a Dilma e a Governadores

 
 
 
Salvador - Sindicalistas de vários Estados do país, ligados a União Geral dos Trabalhadores (UGT) - a
terceira maior central sindical - participam nesta sexta-feira e sábado (19 e 20/11) do II Seminário Nacional da Diversidade Humana da Central, para produzir documento com propostas de defesa de inclusão da população negra aos direitos básicos da cidadania. 

 


Dados que estão sendo divulgados, como a mais recente pesquisa do Instituto Ethos/Ibope demonstram que a proporção de negros no quadro funcional das 500 maiores empresas do país cresceu de 25,1% para 31,1% entre 2007 e 2007, porém, também apontam o abismo da desigualdade provocada pela herança de quase 400 anos de escravidão. 

Segundo a pesquisa, o perfil das empresas nos cargos de direção e gerência continua quase que 100% branco: diretores brancos representam 93,3%, e em cargos de gerência e supervisão a presença negra é de 13,2% e 25,6%, respectivamente. A população negra brasileira corresponde a 51,3% da população total, segundo o IBGE.

Na “Carta de Salvador”, que será enviada a Presidente eleita Dilma Rousseff e aos governadores eleitos de todos os Estados da federação e ao governador do Distrito Federal, deverão estar incluídas propostas de aperfeiçoamento do Estatuto da Igualdade Racial – Lei 12.228/2010 - , a começar pela defesa uma proposta de sua regulamentação.

“Apesar de críticas justas que se faz ao seu desfiguramento, o Estatuto é um ponto de partida. É preciso avançar para que na regulamentação a Lei se torne menos genérica do que efetivamente é”, afirma o secretário nacional da Diversidade Humana da UGT, Magno Lavigne.

Carta e Marcha


Além da aprovação da Carta de Salvador, os participantes participarão em bloco da 31ª Marcha Zumbi dos Palmares, que sai da Praça do Campo Grande, às 15h. Este ano as entidades e organizadores da Marcha estão concedendo o título de Zumbi a João Cândido, o herói da Revolta da Chibata, pela passagem dos 100 anos da Revolta.

Entre os palestrantes já está confirmada a presença do ex-ministro e deputado federal pelo Rio, Edson Santos – um dos principais articuladores da aprovação do Estatuto juntamente com o atual ministro e membro da sua equipe Elói Ferreira de Araújo -, o procurador carioca, Wilson Prudente, e o diretor executivo do Olodum, João Jorge Rodrigues. Também entre os palestrantes estará o advogado e jornalista editor de Afropress, Dojival Vieira.

Na mesa de abertura, já confirmou presença, a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPROMI) do Governo da Bahia, Luíza Barrios, o Secretário de Ações Afirmativas da SEPPIR, Martvs Chagas, e parlamentares como Valmir Assunção, Luiz Alberto e Bira Corôa – todos do PT -, além da presidente do Instituto Sindical Interamericano para a Igualdade Racial (INSPIR), Cleonice Caetano.

O Seminário acontece no Grande Hotel da Barra – na Avenida 7 de Setembro, na Barra -, a partir das 9h, e é o primeiro encontro que tem como objetivo produzir propostas para serem encaminhadas aos novos governos – o federal e os estaduais.

Segundo, Lavigne, sem prejuízo de outras iniciativas e propostas que venham a ser produzidas, é fundamental reunir iniciativas visando estancar a dispersão de propostas. “A relevância deste Seminário consiste no efetivo e reiterado compromisso da UGT em combater a discriminação no ambiente de trabalho, com a adoção, aplicação e divulgação das ações afirmativas”, acrescenta. 

 

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!