Entidades se mobilizam para realizar "Dia de Solidariedade com Haiti"

15/10/2010 00:38

Entidades se mobilizam para realizar


"Dia de Solidariedade com Haiti
"

Adital

 

As ruas de Porto Príncipe, capital do Haiti, são o refúgio para cerca de 1,5 milhão de haitianos e haitianas que estão desabrigados, sem acesso à assistência sanitária nem alimentar, desde a ocasião do terremoto em janeiro deste ano. Cerca de 200 mil pessoas sequer tem uma barraca ou uma lona que sirva de abrigo. Apenas 4,5% dos abrigos temporários previstos, foram construídos. E como se não bastasse toda essa população desabrigada há meses, o Haiti ainda tem uma média de dois milhões de pessoas vulneráveis à desnutrição.

É para tentar amenizar esta situação que amanhã, 15 de outubro, será realizado o Dia de Solidariedade com o Haiti. O ato de mobilização solidária é uma iniciativa do Jubileu Sul América, que aproveita a celebração da ‘Semana de Ação Global contra a Dívida e as Instituições Financeiras Internacionais’ para destinar um dia de socorro ao povo haitiano. A ideia é exigir o fim da ocupação econômica e militar, e a anulação total da dívida.

Alguns países da América Latina e Caribe realizarão atos em favor do país caribenho. Em Buenos Aires, na Argentina, haverá exposição de vídeo, no Rio de Janeiro, Brasil, será realizada uma apresentação musical, já no México, haverá um debate sobre a situação do Haiti e em Porto Rico, será feita uma exposição fotográfica. Desde o dia 7, Cuba realizada a Jornada de Solidariedade com o Haiti e contra a militarização, junto com outros eventos que seguem até o próximo dia 27.

Denúncias

O Jubileu Sul e as organizações que militam em prol do Haiti também exigem a retirada das tropas de ocupação militar, alegando que as equipes da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (MINUSTAH) demonstraram inoperância e fracasso por não atender as necessidades realmente fundamentais da população haitiana.

De acordo com o Jubileu Sul, o Fundo Monetário Internacional (FMI) havia anunciado a renúncia da dívida reclamada ao Haiti, mas a decisão estaria ligada a abertura de um novo processo de endividamento para a reconstrução do país e os negócios e benefícios das grandes empresas multinacionais da área da construção.

A ajuda prometida pelo Governo da França, através de contribuições pela Organização das Nações Unidas (ONU), ONGs e pela Cruz Vermelha, que somavam 180 milhões de dólares, também nunca aconteceu.

Segundo relatos do Jubileu Sul, de 1,3 milhão de dólares recolhidos pela Cruz Vermelha Estadunidense e dos 609 milhões de dólares pelos Serviços Católicos de Socorro, só foram gastos até o momento 179 milhões de dólares. Até setembro, o povo haitiano recebeu apenas 19% dos recursos prometidos pela comunidade internacional para seu bem-estar.

Mais informações no site: www.jubileosuramericas.org

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!