Iceberg maior do que Lisboa separa-se de glaciar da Gronelândia

19/07/2012 14:15

Iceberg maior do que Lisboa

separa-se de glaciar da Groenlândia

Ecosfera;Helena Geraldes

Uma ilha de gelo com 120 quilómetros quadrados, ou seja, maior do que a cidade de Lisboa, separou-se do glaciar Petermann, um dos dois maiores da Groenlândia. O satélite Aqua, que passa sobre o Pólo Norte várias vezes por dia, viu como tudo aconteceu, a 16 de Julho.

A separação foi detectada, pela primeira vez, por Trudy Wohleben, do serviço canadiano responsável pela monitorização destes fenómenos. Depois, a descoberta foi confirmada pelos dados recolhidos pelo satélite Aqua, da agência espacial norte-americana NASA.

“Nesta altura do ano estamos sempre a observar o glaciar Petermann” porque dele se podem separar icebergues que acabam a cruzar as rotas dos navios no Atlântico Norte, disse Wohleben à agência Reuters. Periodicamente desprendem-se icebergues do Petermann, assim como de outros glaciares e que terminam no oceano.

Esta foi a segunda vez em menos de dois anos que icebergues se desprenderam do glaciar Petermann. Em 2010, a ilha de gelo que se separou tinha 260 quilómetros quadrados; esta tem 120 quilómetros quadrados, ainda assim é maior que a cidade de Lisboa (com 84,6 quilómetros quadrados).

“Desta vez, o tamanho não é tão espectacular como foi em 2010”, notou Andreas Muenchow, oceanógrafo da Universidade de Delaware, EUA, que acompanha o gelo no Árctico. “Mas o facto de ter ocorrido tão pouco tempo depois do último desprendimento, em 2010, faz com que a frente do glaciar termine agora numa zona onde já não estava há, pelo menos, 150 anos”, acrescentou, em comunicado.

“Não se trata de um colapso, mas é certamente um acontecimento significativo”, referiu, por sua vez, Eric Rignot, da NASA.

De acordo com Andreas Muenchow, este novo icebergue vai seguir o caminho feito pelo de 2010, até entrar no estreito de Nares, um canal entre o Norte da Gronelândia e o Canadá, onde se deverá quebrar. “Isto é um déjà vu”, disse o investigador. “Os primeiros grandes bocados do icebergue de 2010 chegaram no Verão passado às costas da Terra Nova, mas hoje ainda existem muitos espalhados ao longo da costa do Canadá.

Antes de 2010, a última vez que um icebergue com um tamanho semelhante se separou na região foi em 1962.

“A plataforma de gelo da Gronelândia, como um todo, está a encolher, a derreter e a diminuir de tamanho devido às alterações globais das temperaturas do ar e dos oceanos, associadas às mudanças nos padrões de circulação das correntes”, disse Muenchow. As temperaturas do ar em redor do Norte da Gronelândia e da ilha Ellesmere aumentaram 0,11ºC por ano desde 1987.

“O Noroeste da Gronelândia e o Nordeste do Canadá estão a aquecer cinco vezes mais depressa do que o resto do planeta”, disse o investigador. “Mas o aquecimento registado não prova que o degelo seja causado por isso, porque as temperaturas do ar têm pouco impacto neste glaciar. Já as temperaturas do oceano têm efeitos, mas as nossas séries de registos [das temperaturas da água] apenas têm cinco a oito anos, o que é muito pouco para lançar um sinal de alarme.”

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!