19/06 - Exposição O Negro no Futebol Brasileiro

19/06/2011 10:00
 Exposição 
O Negro no Futebol Brasileiro
Arthur Friedenreich a Edson Arantes do Nascimento
Museu Afro Brasil - 19/06
Emanoel Araujo
O futebol teve suas origens na China, atravessou o Atlântico ainda no século XIX e chegou até nós através dos Ingleses na figura de Charles Muller e foi primeiramente introduzido nas chamadas classes alta e media da sociedade emergente do século passado e nos clubes esportivos e sociais da elite paulista, e creio que assim foi no Rio de Janeiro e em todos os outros estados brasileiros que descobriram o sucesso dessa modalidade esportiva e o quanto ela tocava na alma latina dos sul americanos.
 
Muitos trabalhos e teses foram escritos sobre o Futebol no Brasil.
 
Analisados sobre diferentes aspectos, desde os antropológicos, sociológicos, etnológicos, cronistas, jornalistas, poetas, escritores, curiosos, apaixonados e seduzidos pelo futebol o único esporte que une dança, uma espécie de domínio do corpo e de muitos gingados, equilibristas do espaço onde a magia está em dominar uma bola que às vezes tem caprichos próprios de um ser vivo, capaz de transformar sua magia em momentos de sucesso ou do mais puro e terrível fracasso.
 
O fato é que o futebol, que há muito virou paixão nacional, será sempre motivo de transformações sociais de quem na prática esportiva acende e transcende pelo talento e pelas qualidades impares de um grande atleta.
 
O futebol assim como o carnaval e outras manifestações populares no Brasil, ocupa grandes espaços na mídia por se tratar da capacidade de envolvimento com as mais diferentes camadas da sociedade brasileira, pelo grande élan lúdico contido nessa forma de extravasar as frustrações das conquistas sociais de um povo que necessita desses escapes enquanto espera uma grande inclusão social que lhe adote como cidadão de fato.
 
A Academia por vezes tem se ocupado desse grande palco de inclusão social e desse frenesi de intermináveis paixões.
Contudo são pálidas as contribuições para se estudar o ingresso dos negros e mestiços nos chamados esportes de elite, muito embora essas mudanças tenham suas próprias regras.
 
Gilberto Freire, o autor de Casa Grande e Senzala, comenta no prefacio do Negro no futebol de Mario Filho:
 
Mario filho nos põe diante do conflito entre estas duas forças imensas – a racionalidade e a irracionalidade - no comportamento ou na vida dos homens. No caso, homens do Brasil. Homens de uma sociedade híbrida, mestiça, cheia de raízes ameríndias e africanas e não apenas européias.
 
Sublimando tanto do que é mais primitivo, mais jovem, mais elementar, em nossa cultura, era natural que o foot-ball, no Brasil ao engrandecer-se em instituição nacional, engrandecesse também o negro, o descendente de negro, o mulato, o cafuzo, o mestiço.
 
Claro que o futebol como manifestação nacional, expõe a verdadeira face do país, com seus preconceitos agora vistos até nas manifestações das torcidas e internamente entre os próprios jogadores de diferentes clubes.
O Futebol seria mesmo cultura brasileira?
 
Seria uma porta de entrada à cultura brasileira
 
Poderia ser uma porta para ascensão social do esportista negro?
 
Emanoel Araujo é Diretor Curador do Museu Afro Brasil

Serviço:
Exposição "O Negro no Futebol Brasileiro"
19/06/2011
Museu Afro Brasil
Av. Pedro Álvares Cabral,s/no.- Parque do Ibirapuera,
portão 10- Pavilhão Padre Manoel da Nóbrega- São Paulo - SP
Tel: 55 11 3320-8900

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!