12/05 - Lançamento do livro de Mulher Mat(r)iz da escritora Afro Brasileira Miriam Alves

12/05/2012 18:00

Lançamento do livro de  Mulher Mat(r)iz

da escritora Afro Brasileira Miriam Alves

 

Dia 12/05 - às 18h - no 3º Salão do Livro de

Guarulhos/SP - Estande 35 - Broto Cultural

 


Moema Parente Augel, Universidade de Bielefeld (Alemanha) fala sobre Miriam Alves :

"Um pouco sConheço Miriam Alves desde 1985. Conheço-a como escritora, como engajada defensora dos direitos dos afrodescendentes e da mulher, principalmente da mulher negra brasileira. Conheço Miriam, a cidadã-mulher-negra-escritora, como ela gosta de autodenominar-se, como intelectual séria, consciente e conscienciosa, que exerce grande influência nos ambientes onde atua, contribuindo de forma decisiva para a valorização dos afrodescendentes e a divulgação da literatura negra brasileira no Brasil e no exterior. Nutro a maior admiração e o maior apreço por essa escritora que pode ser considerada, sem favor, como das mais representativas da literatura brasileira contemporânea.

Foi com grande satisfação, pois, que aceitei o convite de Miriam Alves para apresentar Mulher Matiz. Suas onze “Prosas” foram compostas ao longo de mais de vinte anos de atividade literária e engajamento político-social, sempre a partir do crivo do olhar do afrodescendente que procura expressar a realidade vivencial do Negro no Brasil. A linguagem e a temática dos contos em Mulher Matiz ressaltam um processo de afirmação da identidade feminina, das conquistas da mulher negra – e não só. A própria autora explicita a base comum que funciona como fio condutor deste conjunto de estórias: “os contos aqui agrupados revelam o universo da mulher afro-brasileira em suas várias possibilidades vivencial-afetivas”.

Está-se frente, nesta coleção de contos, a textos ousados e inovadores, envoltos numa linguagem fluida e fluente, retratando ambientes em que o cotidiano se entrelaça com o mágico, o irreal ou o absurdo, convidando, pelo desusado e pela surpresa, à reflexão. Apesar de se tratar aqui de estórias que correm num plano individual, está subliminarmente presente outro plano que possibilita que um coletivo marginalizado ou inferiorizado surja nas entrelinhas e deixe emergir outra história. Como intelectual e escritora, Miriam Alves está profundamente convencida do papel de sua literatura e de sua militância, a partir do próprio referencial como afrodescendente. “As experiências vivenciais e emocionais do negro no Brasil”, afirmou ela numa entrevista em 1999, sempre nortearão sua vida: “eu vou estar sempre escrevendo essa experiência negra em todos os sentidos [...] narrando a realidade vivencial do negro no Brasil. [...] Essa é a função do intelectual negro, esteja ele em que situação estiver”. E, concluindo aquela entrevista que guarda completa atualidade:“Qualquer escritor é a fala do seu lugar. Mayakoviski foi a fala da revolução russa. Não estou dizendo que estou fazendo uma revolução. Mas EU SOU A FALA DO MEU LUGAR”.

É assim Miriam Alves. Vamos ler Mulher Matiz para confirmar".

 

Trajetória da Escritora Afro Brasileira Miriam Alves

 

 

Três de seus livros indiviguais

 

 

Escritora e poeta integrante do Quilombhoje Literatura de 1980 a 1989. Escritora visitante na Universidade do Novo México, segundo semestre de 2007 e na Escola de Português de Middelbury College em 2010, nos Estados Unidos da America, quando ministrei os cursos de Literatura e Cultura Afrobrasileira.


Participo freqüentemente de debates e palestras em universidades com temas vinculados às questões da afrodescendência no campo literário com ênfase especial a afroliteratura feminina. No segundo semestre de 2009, estive nas University do Texas, Austin; University do Tennessee, University de Illinois, entre outras. Co-organizei duas antologias bilíngües internacionais, Finally us: Contyemporary Black Brazilian Women Writers, poemas, em 1995 e Women righting - Afro-Brazilian Women’s Short Fiction, contos, em 2005.
Publiquei os seguintes livros: Momentos de Busca, poemas, em 1983; Estrelas nos Dedos, poemas, em 1985; Terramara, peça teatral, em 1988, em co-autoria com Arnaldo Xavier, e Cuti (Luiz Silva); Brasilafro autorrevelado, ensaios, em  2010; Mulher Mat(r)iz, em 2011, contos.


Os meus poemas e contos fazem parte da série Cadernos Negros a partir de 1982, no volume cinco, até 2011, no volume 34. Tem diversos contos e poemas em várias antologias nacionais, como por exemplo, O Negro em versos: antologia da poesia negra brasileira, 2005, como também em antologias internacionais nos seguintes países: Estados Unidos da América, a exemplo: Black notebooks: contemporary afro-Brazilian literary movement; Inglaterra, a exemplo: Moving beyond boundaries. International dimension of Black women’s writing, 1995; na Alemanha, a exemplo: Schwarze poesie: Poesia Negra, em 1988 e Schwarze prosa: Prosa Negra, em 1992. Além de ensaios sobre a Literatura afro-brasileira em geral e afro-feminina em particular.

 

 

Serviço:

3º Salão do Livro de Guarulhos

Dia 12/05 - às 18h - no 3º Salão do Livro de
Guarulhos/SP

Estande 35 - Broto Cultural

Rua Odair Santanelli, Parque Cecap [veja localização]

Guarulhos - SP
 

 

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!