Acre decreta situação de emergência social por causa de surto de imigração

10/04/2013 18:16

Acre decreta situação de emergência

social por causa de surto de imigração

IHU/Yuri Marcel e Rayssa Natani - G1

O governador do Acre, Tião Viana (PT), decretou, nesta terça-feira (9), situação de emergência social para os municípios de Epitaciolândia e Brasileia em consequência da chegada descontrolada de imigrantes nestes locais, em sua maioria haitianos. Segundo Tião, o estado não possui mais capacidade para lidar com a questão e pede mais apoio da União para a resolução definitiva do problema

 

“O decreto é de um grito de alerta de que a situação chegou ao limite. Transbordou o suportável e nós precisamos de ajuda, e do papel institucional e constitucional do governo federal numa questão dessa gravidade. O governo do Acre já assumiu R$ 3 milhões em gastos. A União nos ajudou com R$ 600 mil, mas nós precisamos de uma medida definitiva”, diz o governador.

Tião Viana afirma que o Ministério das Relações Exteriores está sendo ‘insensível’ com o problema.”Eu diria até que ele está sendo omisso. Ao meu ver,  ele deveria dialogar com Peru e Equador, onde começa a rota, e exigir o visto dos imigrantes. Se esse visto fosse exigido resolveria 90% do problema”, diz.

Em entrevista ao G1 nesta terça-feira, o secretário Estadual de Direitos Humanos, Nílson Mourão, disse que só entre janeiro e o começo de abril de 2013, cerca de 2,7 mil imigrantes já passaram por Brasileia. “A situação fugiu totalmente do controle. Quando nós temos 1,3 mil pessoas, são 3,9 mil refeições por dia, e não existe uma empresa em Brasileia que comporte. Não existe espaço nem para colocar os colchões no chão”, explica.

Possível rota de tráfico

Além dos haitianos, pessoas de outros países começam a utilizar a fronteira entre Assis Brasil e a cidade peruana de Iñapari como porta de entrada para o Brasil. Vindos de países como o Senegal, Nigéria, República Dominicana e Bangladesh eles passaram a dividir com os haitianos o abrigo montado em Brasileia. “É como se estivesse formada uma rota internacional migratória que se associa a crise social grave que vive o povo do Haiti e a Polícia Federal tem tratado essa questão com bastante cuidado”, diz Tião Viana.

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!