Justiça Federal garante desobstrução de acesso a comunidade Guarani Kaiowá

03/03/2013 10:30

Justiça Federal garante desobstrução de

acesso a comunidade Guarani Kaiowá

 

Fonte: Comitê de Solidariedade ao Povo Guarani

A Justiça Federal de Dourados (MS) assegurou a liberação dos dois acessos a Comunidade Laranjeira de Ñhanderu dos Guarani Kaiowá, em Rio Brilhante (MS). Os dois acessos ao acampamento indígena estavam bloqueados pelo proprietário da fazenda vizinha ao local. O bloqueio impedia a prestação de serviços essenciais aos índios, como o atendimento médico, a distribuição de remédios e alimentos, apoio policial e até mesmo o transporte escolar.

Com a decisão, o acesso de órgãos públicos à comunidade não poderá ser obstruído, sob pena de multa diária de mil reais. “O direito à propriedade do réu, essencialmente patrimonial, não há que se sobrepor ao direito à vida, saúde, dignidade humana, bem como ao interesse público na preservação da cultura e identidade das populações indígenas”, destaca o julgamento.

Bloqueio

A comunidade Laranjeira Ñhanderu está assentada, desde 2008, em área de reserva legal da Fazenda Santo Antônio da Nova Esperança. O local possui acesso restrito, sendo necessária a entrada dos órgãos assistenciais pela fazenda vizinha à comunidade. Contudo, o proprietário do imóvel bloqueou as duas entradas que davam acesso ao acampamento.

Para o MPF (Ministério Público Federal) “se foi garantida a permanência provisória dos indígenas na área ocupada, não faz sentido negar à comunidade direitos constitucionalmente assegurados, como à educação, à vida e à saúde”.

No ano passado, decisão do TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) determinou o acesso dos órgãos assistenciais à comunidade e a permanência dos índios na área ocupada até a realização de perícia antropológica, mas a decisão afetava apenas o proprietário da fazenda e não os donos dos imóveis vizinhos, por isso a nova ação do MPF.

 

Solidariedade aos Guaranis-Kaiowas

Mais de 1000 indígenas Kaiowas e Guaranis precisam de ajuda urgente para manter a infra estrutura e garantir alimento para todos que estão acampados na área de retomada em Caarapó-MS. Para aqueles que puderem contribuir, as lideranças da Aty Guasu pediram ao Tribunal Popular que prestasse auxílio solicitando ao militantes, entidades, organizações e ativistas solidários, doações em dinheiro para que esses itens possam ser comprados. Assim, para os interessad@s, podem enviar e-mail para tribunalpopular2010@gmail.com, por onde passarão instruções de como realizar o depósito.

 

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!