Serviço de aluguel de bicicletas cresce nas capitais brasileiras

04/09/2013 23:05

Serviço de aluguel de bicicletas

cresce nas capitais brasileiras

Emilly Souza/Adital

 

A cidade Porto Alegre é a mais nova capital a se desenvolver com relação ao serviço de aluguel de bicicletas. O chamado "Sistema BikePoa” ganhou sete novas estações de aluguel no dia 31 de agosto. Com isso, serão 35 estações e 350 bikes disponíveis em locais de maior circulação na cidade. Entre os novos pontos, dois deles se encontram no Parcão, no bairro Moinhos de Vento, um dos principais centros de lazer da capital gaúcha.

O sistema público de locação se tornou um sucesso na cidade desde a sua inauguração, em setembro de 2012. Agora, o objetivo da prefeitura é instalar 40 estações e 400 bicicletas até o final de novembro, a fim de melhorar a relação oferta-procura existente, que tem movimentado 54 mil cadastros no site da BikePoa. Para utilizar o serviço o usuário deve informar o número do cartão de crédito para o pagamento dos passes que variam de R$5 a R$ 10.

O aumento do uso do transporte alternativo é uma tendência que cresce a cada dia nas capitais brasileiras. Em Recife, existe o primeiro sistema intermunicipal de bicicletas do Brasil. O Projeto Bike PE já agradou a população, causando a inscrição de 3.480 pessoas somente no primeiro mês. Devido à grande demanda está sendo esperado que, até o final do ano, sejam instaladas mais 70 estações para as 700 novas "magrelas”.

Já em Curitiba, o funcionamento da Bicicletaria.net, permissionária do sistema público de aluguel de bicicletas da capital paranaense, teve seu serviço suspenso devido à um pico de uso por parte dos usuários, e no momento os gestores da empresa, que não possui nenhum patrocinador e não recebe dinheiro público, estão procurando parcerias para automatizar o sistema e diminuir o custo de locação para o público.

A ideia de pedalar nas cidades está chegando cada vez mais como uma opção às pessoas. O uso das bicicletas como meio de transporte é tema discutido no Brasil e no mundo. Se por um lado a utilização das magrelas beneficiaria o trânsito, a saúde e o meio ambiente, os lugares enfrentam dificuldades estruturais para recebê-las nas ruas. Embora a cena do ciclismo urbano tenha crescido muito, esse novo meio de transporte conta com dois problemas: a falta de ciclovias e a violência no trânsito, tornando necessária uma fiscalização mais rigorosa nesse quesito e que defenda os direitos de pedestres e ciclistas.

 

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!