05/11 - Ato Continental pela retirada das Tropas da ONU do Haiti

05/11/2011 21:31

 

Ato Continental pela retirada das Tropas da ONU do Haiti

DIA 5 de Novembro as 15 hs (Camara dos Vereadores de SP)

Milton Barbosa/MNU

Em outubro, o Conselho de Segurança da ONU discute a renovação por mais um ano da “Missão pela Estabilização do Haiti” (MINUSTAH). O relatório do secretário-geral da ONU indica a renovação do mandato das tropas.

No Brasil, o novo ministro da Defesa, Celso Amorim declarou que “é hora de discutir uma saída organizada, inclusive com as Nações Unidas, claro. Não sei se em agosto, dezembro, janeiro, não é o que importa” (Folha de S. Paulo, 10.08.11).

No Haiti, milhares de haitianos continuam saindo às ruas exigindo a retirada das tropas. Várias organizações democráticas, populares e sindicais do Haiti se posicionaram pela retirada do que chamam de “tropas de ocupação”. O recente congresso da Central Autônoma dos Trabalhadores Haitianos (CATH), por exemplo, exigiu a “anulação total e incondicional da dívida do Haiti, a retirada imediata de todas as forças de ocupação da MINUSTAH e a reparação dos danos gerados pelo cólera trazido ao país pelas tropas” (*).

O povo está farto da ocupação, que pisoteia sua soberania. Somos solidários, queremos ver o povo do Haiti livre. Já passou da hora do Brasil retirar suas tropas!

São mais de 7 anos de ocupação, com o Brasil liderando tropas de 42 países, sobre as quais pesam acusações de violação, repressão ao movimento dos trabalhadores operário e assassinato de lideranças haitianas.

A Presidente Dilma deve tomar a iniciativa, trazendo de volta o contingente brasileiro.

O que o Haiti necessita é de médicos, enfermeiros, engenheiros, ajuda técnica e material para a sua reconstrução, e não de soldados para reprimir as legítimas manifestações de seu povo.

Levantamos a bandeira da imediata retirada imediata da MINUSTAH!

Convidamos todos para um Ato Continental, com representantes de outros países do continente, que lutam pela retirada da MINUSTAH.

(*) a ONU finalmente reconheceu que o vibrião do cólera foi introduzido no país pelo contingente do Nepal; ele contaminou 300 mil e matou 5.800 haitianos; o custo anual da MINUSTAH, US$ 850 milhões, é nove vezes o que a ONU gastou com a epidemia

São Paulo, Agosto de 2011

DEPUTADO ADRIANO DIOGO (PT/SP), DEPUTADO JOSÉ CANDIDO (PT/SP), DEPUTADO YULO OITICICA (líder do PT na Assembléia Legislativa da Bahia), BARBARA CORRALES (Comitê “Defender o Haiti é Defender a nós mesmos”), BIA ABRAMIDES (Presidente da Associação dos Professores da PUC-SP), CLAUDINHO SILVA (Setorial do Combate ao Racismo do PT-SP), GOG (rapper, DF), JEAN LOYOLA (Fenajufe), JOELSON SOUZA (Juventude Revolução - IRJ),  JOSE EUDES (Presidente da CUT-DF), JULIO TURRA (exec. nacional da Central Única dos Trabalhadores),IZAC JACSON CAVALCANTI (Presidente da CUT-AL), LUIZ GONZAGA DA SILVA - GEGÊ (Central dos Movimentos Populares), MARCELO BUZZETTO  (Movimento dos  Trabalhadores Rurais Sem Terra), LUCIA SKROMOV (Comitê Pró-Haiti), MARKUS SOKOL (Diretório Nacional - PT), MILTON BARBOSA(Movimento Negro Unificado), OLÍVIO DUTRA (fundador do PT e ex-governador do Rio Grande do Sul) e  SERGIO GOIANA (Presidente da CUT-PE) e SINDICATO DOS JORNALISTAS DE SÃO PAULO

Organization:  Committee “To defend Haiti is to defend ourselves” ALESP - Asamblea Legislativa de Sao Paulo

Organização :  Comitê “Defender o Haiti é Defender a nós mesmos” Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo - ALESP

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!