Cineastas levam oficinas Tela Brasil para Suzano (SP)

31/08/2010 21:20
Cineastas levam oficinas Tela Brasil para Suzano (SP)
Curtas criados nas oficinas já foram selecionados em vários festivais

 

 


Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi, com patrocínio da Fundação Telefônica em parceria com a CCR NovaDutra, levam Oficinas Tela Brasil para Suzano (SP) Curtas-metragens produzidos nas oficinas já foram selecionados em dezenas de festivais em todo o Brasil Depois de lançar o longa-metragem, As melhores coisas do mundo, e comemorar os cinco anos do Cine Tela Brasil no primeiro semestre, o trabalho continua para Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi.

Desde 2008, eles coordenam as Oficinas Tela Brasil. Mais de 1000 alunos já passaram pelas oficinas itinerantes em 50 cidades produzindo 150 curtas-metragens. Agora vinte jovens de Suzano terão a chance de produzir seus próprios curtas-metragens coordenados pela dupla de cineastas. Patrocinadas pela Fundação Telefônica em parceria com a CCR NovaDutra, as Oficinas Tela Brasil serão realizadas de 25 de setembro até 06 de outubro, no Centro Cultural Boa Vista, na Rua Katsutoshi Naito, 957.

Até o dia 15 de setembro, jovens com idades a partir de 15 anos podem se candidatar a uma das 20 vagas. Para isso, basta preencher a ficha de inscrição no próprio Centro Cultural ou nos seguintes locais citados abaixo. O site http://www.telabr.com.br/oficinas_itinerantes/inscricao também recebe as fichas de inscrição.

A lista dos selecionados será divulgada no dia 17 de setembro. Durante as oficinas os jovens aprendem as técnicas de produção e edição de roteiro e vídeo. Para garantir a presença dos alunos, cada um recebe uma ajuda de custo para transporte e pesquisa no valor de R$ 110,00 (R$ 10,00 por dia).

A estreia dos curtas-metragens produzidos nas Oficinas será no dia 9 de outubro, na sala do Cine Tela Brasil, e será acompanhada de perto por um profissional do audiovisual, que dividirá com os alunos suas experiências na área. A exibição dos filmes será aberta ao público e gratuita e dá a chance de os jovens apresentarem aos amigos e à família os trabalhos produzidos.

Dezenas dos vídeos produzidos nas Oficinas Tela Brasil foram selecionados em importantes festivais, como o Tia Dita (20º Festival Internacional de Curtas de São Paulo, VIII Festival Araribóia em Niterói e 16ª edição do Vitória Cine Vídeo, em Vitória); Pão com mortadela e meia mussarela (19º Festival de Curtas de São Paulo, Goiânia Mostra Curtas, Visorama 3, Festival Visões Periféricas e CineCufa 2009); Dr. Poporowiscky (4º Festival de Jovens Realizadores de Audiovisual do MERCOSUL Festival CineCufa); além disso, 32 dos 161 vídeos selecionados para o CineCufa - Festival Internacional de Filmes de Periferia (Rio de Janeiro, 2009) são frutos das Oficinas Itinerantes de Vídeo Tela Brasil.

“Com uma câmera na mão, esses jovens produzem trabalhos surpreendentes. Os festivais são muito gratificantes para nós, mas o nosso maior objetivo é que os alunos usem as Oficinas como uma ferramenta de expressão para que eles contem, por meio do audiovisual, suas histórias e seus sonhos”, fazem coro Luiz Bolognesi e Laís Bodanzky.

Para ampliar a abrangência das oficinas, foi criado, em parceria com a Fundação Telefônica, um portal (www.telabr.com.br) com conteúdo audiovisual onde os jovens encontram exercícios virtuais, textos lúdicos sobre as diversas áreas do audiovisual, filmografias, bibliografias e links comentados, informações sobre editais, festivais e concursos.

A Fundação Telefônica gerencia a maior parte da Ação Social e Cultural do Grupo Telefônica no mundo, demonstrando o compromisso da empresa com as sociedades junto às quais atua. A instituição está presente na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Espanha, México, Peru, Equador e Venezuela e também desenvolve programas junto a operadoras locais da Telefônica em El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Panamá e Uruguai. No Brasil, foi criada em 1999 e atua para o desenvolvimento social, através da consolidação dos direitos das crianças e dos adolescentes. Desde o início de sua atuação, mais de 500 mil pessoas já foram beneficiadas direta ou indiretamente pelos projetos que desenvolve, por meio dos programas EducaRede, Pró-Menino, Arte e Tecnologia e Voluntários Telefônica.

A CCR NovaDutra é responsável pela administração da Rodovia Presidente Dutra, via com 402 quilômetros de extensão que liga as duas regiões metropolitanas mais importantes do País: Rio de Janeiro e São Paulo. A rodovia abrange uma região altamente desenvolvida, que responde por cerca de 50% do PIB brasileiro. A concessionária tem 14 anos de existência e foi a segunda a integrar o Grupo CCR.

Além do Cine Tela Brasil, patrocinado pelo Grupo CCR desde o início, a CCR NovaDutra desenvolve no campo da educação o Programa Estrada para a Cidadania, que leva informações sobre segurança de trânsito e cidadania a alunos de 3ª série (4º ano) das redes públicas municipais de ensino. Criado em 2005, o Programa já envolveu 295 mil alunos e 10,5 mil educadores. Em 2010 atenderá a mais 78 mil alunos e 3 mil educadores em 36 municípios servidos pela Via Dutra.

A CCR é uma das maiores empresas de concessão de infraestrutura da América Latina e, atualmente, conta com mais de 6 mil colaboradores trabalhando nas empresas do grupo. É responsável por 1.922 quilômetros de rodovias administrados por suas oito concessionárias nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. A empresa iniciou este ano sua atuação no segmento de transporte de passageiros com a Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo, mantida e operada pela ViaQuatro. Detém ainda participação na STP, que opera os meios eletrônicos de pagamento Sem Parar e Via Fácil e na Controlar.

A CCR possui um consistente histórico de incentivo cultural, iniciado a partir de um amplo estudo realizado junto às cidades cortadas pelas rodovias do grupo e que teve por objetivo mapear os equipamentos culturais existentes. Dessa forma, a empresa busca atuar diretamente nas áreas de maior carência cultural, levando produções brasileiras de qualidade para todas as regiões de abrangência de suas concessionárias. Mais de 1 milhão de pessoas tiveram acesso às iniciativas patrocinadas pelo Grupo CCR, por meio de projetos de circo, cinema, teatro, dança, exposições e outras manifestações artísticas.